Em primeiro lugar, a fachada transmite o status que o edifício quer passar, depois é usada como artifício de linguagem para os mais diversos fins, veja o exemplo dos bancos, há pouco tempo, a maioria deles tinha em sua fachada revestimentos de pedra polida como mármore ou granito, pois a intenção da linguagem a ser passada era de rigidez, solidez e segurança. Hoje a grande maioria tem sua fachada de vidro visando demonstrar vigília e transparência.

E as escolas? Qual linguagem querem passar?

Primeiramente define-se a classe social que terá acesso a essa escola, o bairro que se localiza e a vontade dos envolvidos, para então trabalhar uma composição de cores, materiais e texturas. Aquele modelo antigo, já repetido inúmeros vezes, onde uma cerca pintada com azul, amarelo, vermelho e verde já não encanta quem passa. É preciso trazer um olhar contemporâneo explorando volumes e formas.

Vejamos o caso da fachada da Escola Conceito Criativo localizada em Cascavel – PR. Observando a imagem que ilustra este “post”, lado esquerdo, não é possível identificar que o local é uma escola. O nome da escola estava adesivado apenas na porta de vidro, ou seja, quando a porta estava aberta, perdia-se a identificação. Veja só, a escola em questão possui uma superestrutura, várias salas, refeitório com jardim, quadra esportiva, sala multiuso, porém nada disso estava sendo valorizado com a fachada anterior.

Para a nova fachada propomos utilizar as mesmas cores, pois estas são da identificação visual e do logo, mas de maneira diferente; foi aí que usamos um revestimento hexagonal, que além de estar em alta, facilita muito a manutenção, tanto em limpeza quanto em necessidade de pintura. A chapa usada ao longo da fachada permitiu reforçar o logotipo da escola. Os símbolos que perfuram a chapa fazem parte da identidade visual e ainda permitem que a luz e a ventilação atravessem até as janelas, que ficaram “escondidas”. A porta foi destacada com uma moldura e uma paredão de quadrados feitos no próprio reboco, reforçando a identificação da entrada. Foi realizado ainda um recuo na parede ao lado da porta de entrada, valorizando ainda mais a vegetação que deu o toque final.

E sua escola? Como anda a fachada dela?

Gostaria de uma avaliação para saber como melhorá-la e valorizar ainda mais a sua instituição? Então faça contato conosco e certamente poderemos ajudar nesse processo.

Valéria Zamboni – arquiteta de escolas